12.6.15

Apps que tem tudo a ver com o dia dos namorados (ou não)

Sorry, it's over
Criado por uma empresa australiana o app faz o que ninguém curte fazer: terminar o namoro. O preço varia de R$ 13 a R$ 186 reais. Ou seja, para a geração de namoros online por R$ 13 reais pode tirar um peso das costas (ou não, rs!).


Happn
Quem nunca twittou "podiam inventar um app com as redes sociais do boy que eu encontrei na rua" que atire a primeira pedra. Me abraça quem se apaixona todos os dias por pessoas aleatórias no ônibus, na rua, na fazenda ou numa casinha de sapê
Good news para as migas: no Happn você cria uma conta usando o Facebook, monta um perfil e quando você estiver de boa andando na rua e PÁ!, encontrar aquele boymagia, se ele também tiver uma conta no Happn, ele aparece na sua timeline. S-I-M! Aí é só clicar no coração ao lado da foto e caso o seu olhar 43 tenha conquistado o boy e ele te curtir de volta, uma janela é aberta para vocês conversarem. Awn! #ThanksGod


30 Days Relationship Challenge
Esse é para os apaixonados, o casal que curte sempre inovar no namoro vai adorar esse app com certeza. Ele desafia os pombinhos a fazer uma coisa sweet (fofis, em outras palavras) para o outro por 30 dias seguidos.


Tinder
Eis o mais famoso da lista. Confesso que não curto, mas a voz do povo é a voz de Deus. Todo mundo gosta e eu não poderia deixar ele de fora dessa lista. 
Funciona da seguinte maneira, você cria um perfil e o app define um raio de distância a partir do local que você está, aí que a mágica começa a acontecer, aparecem pessoas da mesma região e para conversar com o boy que você gostou é só curtir e rezar para que ele te curta de volta (só assim para vocês conversarem e para ele saber que você curtiu).
Recomende para a sua amiga encalhada! Hahahaha.



Um feliz e divertido dia dos namorados aos casais e para você minha querida amiga solteira, hoje é dia de Orange is the new black!!!! Corre que a terceira temporada já está disponível no Netflix. 

Beijo,
Ana Lu

0 comentários:

Postar um comentário

 
ana lu fernandes - 2016 // voltar para o topo // design + código gbml