13.9.15

Leitura: Não se iluda, não

Hello hello!

O "Não se iluda, não" é o segundo livro da blogueira e escritora Isabela Freitas e a continuação do "Não se apega, não". Nele encontramos as continuações das histórias dos personagens famosos como Pedro e Amanda, os melhores amigos da Isabela (a do livro e não a real, tá?). Eu que adoro ler e adoro a Bebela, não poderia deixar de fazer um post sobre o livro.


Foto: Intríseca

Sinopse 
Depois de passar um ano sem namorado, Isabela está determinada a realizar o grande sonho de ser uma escritora reconhecida. Resolve dar os primeiros passos anonimamente, criando um blog onde assina como A Garota em Preto e Branco. Em seu diário virtual, ela desabafa, fala dos amigos, dos não tão amigos assim, e confessa suas aventuras e desventuras amorosas. Assunto é o que não falta. Durante uma temporada agitada em Costa do Sauípe, na Bahia, acompanhada por Pedro, Amanda e sua insuportável prima Nataly, Isabela conhece o irresistível Gabriel, um sujeito praticamente perfeito, a não ser por um pequeno detalhe... Entre shows e passeios na praia, Isabela precisa admitir para si mesma que sente uma atração cada vez maior pelo seu melhor amigo. (Retirado do livro)

Minha opinião 
Gostei bastante do livro e da história, que era bem previsível, mas a Isabela explorou bem a parte dos sentimentos e as consequências por trás de cada escolha. Mais maduro que o "Não se apega, não", mostra que não há amor que nos faça desistir dos NOSSOS sonhos e objetivos. Você vai rir, chorar e se identificar em vários momentos (quer apostar?). Eu recomendo! 

As melhores frases do livro
"Relutei um pouco, mas estávamos falando do meu sonho. E quando se trata de sonhos devemos ir até o fim. Mesmo que no caminho percamos um pouco da força e tudo pareça inútil, a ponto de acharmos que não fazemos diferença. Um pingo do oceano faz diferença quando alguém sedento aparece. É mais ou menos por aí."  Página 16

"Diz que não acredita no amor pra ver se o amor acredita nela..." Página 21

"Sempre tive medo de perder o que não posso segurar com firmeza. Quero dizer, pessoas não são objetos que podemos controlar e guardar numa gaveta. Pessoas não são fantoches para os quais podemos planejar cada fala, cada sílaba, cada movimento. Pessoas não são de ninguém e demoramos um pouco para aceitar que elas possam ir em direções opostas às nossas. Por quê? Porque as pessoas mudam. Pessoas têm sentimentos, vontades, e são suscetíveis a erro. É impossível controlá-las." Página 43

"Cada pessoa é responsável por suas decisões, e se culpar pelas decisões do outro é o maior martírio a que você pode se submeter por aí." Página 45

"O passado diz muito sobre quem somos e sobre o que podemos nos tornar. Seria ultrajante dizer que o passado nos molda, mas ele revela mais do que palavras são capazes de expressar." Página 79

"Somos mais fortes quando temos consciência de que somos feitos de papel e sabemos que podemos nos quebrar com o mínimo toque. Tentamos a todo custo driblar nossas fraquezas, nos esforçamos para ser o melhor que podemos." Página 111

"O que a gente faz quando não há nada mais a fazer?" Página 144

"Então o apego é isso. É se prender firmemente a alguém e com todas as suas forças não deixar que ele se vá... Mesmo que ele já tenha ido. O apego é um apelo para que a pessoa fique mais um pouco. É como se disséssemos: "Ei, eu sei que você quer ir embora. Mas se você quiser ficar, pode ficar..."." Página 163

"Nem sempre o ideal é aquilo que realmente queremos. Ele, o ideal, só está ali para nos lembrar de que o poder de escolha é todo nosso." Página 184

"Escolher é difícil demais. Eterniza suas decisões." Página 184

"Nunca é fácil admitir em voz alta nossos deslizes. Gostamos de pensar que estamos sempre certos e que, se erramos, é porque tivemos motivos." Página 246

"Alguns erros são erros somente em relação a outras pessoas, mas para nós eles podem ser uma atitude necessária que, de repente, dão sentido à vida." Página 251

"(...) Nós podemos ser quem quisermos. Eu e você." Página 263

"As pessoas não morrem, se eternizam em forma de amor nos nossos corações." Página 270

Foto: Lucas Moço

O meu "Não se iluda, não" ganhei de presente da minha amiga Milena (linda!). Thanks Mi! 

Agora corre para as livrarias da sua cidade até achar o livro! Não esquece de me contar a sua opinião. 

Curte, comenta e compartilha aí! Hahahaha.

Beijo!
  

0 comentários:

Postar um comentário

 
ana lu fernandes - 2016 // voltar para o topo // design + código gbml