5.10.16

Há culpas que não são nossas

Durante muito tempo pensei que o problema era eu.

Conheci pessoas sensacionais, falando de beleza exterior e interior, mas que nunca eram suficientes para mim. 

Olho verde, gentleman, levava para jantar... Não, bom demais.

Moreno, alto, mandava flores, fazia de tudo... Não.

E mais outros tipos ideais, daqueles que toda garota sonha em encontrar, inclusive eu!

Acontece que não era o "cara certo". Nenhum deles. Não eram para mim. Simples assim!

Em todas as situações eu pensava que eu era exigente demais, chata demais e merecia ogros ao invés de príncipes como aqueles que haviam passado pela minha vida. Até que um dia eu acordei e percebi que o problema não era eu e, na verdade, nem eles. Sem aquele clichê de "o problema não é você, sou eu", porque o problema não era nenhum de nós.

Certa vez li em algum lugar a seguinte frase: "Um dia você vai encontrar alguém tão seu, que tudo o que você precisará fazer é ser você mesma". Me marcou tanto! Eu, geminiana com Vênus em gêmeos, sou o caos em pessoa. Um dia eu quero, no outro não quero mais. Por muito tempo também achei que isso era egoísmo da minha parte. Será? Eu acho que não. Acho que não devemos estar ao lado de alguém apenas por pena de ferir os sentimentos do outro. Acho que tudo bem minhas vontades mudarem em questão de dias ou horas. Afinal, fazer o que se a Lua mudou, a minha cabeça deu um nó e os desejos já não são mais os mesmos?

Acredito fielmente que Deus tem um plano para todos nós e que a pessoa certa (quando falo de pessoa certa não tem nada a ver com perfeição) vai chegar para todos e, se não chegar, simplesmente não era pra ser.

A liberdade me fascina! Para mim, não tem coisa melhor do que ter a opção de voar para onde quer que seja, mas saber que quero ficar em um lugar só. Ou então, voar por aí, mas sempre voltar para onde me sinto à vontade, sem pressão. Para alguns, egoísmo. Para mim, liberdade.

E a culpa não é minha, nem do meu signo, nem do Vênus, nem de Marte!

Ei! Fica tranquilo. A culpa também não é sua! Vai por mim... Há culpas que não são nossas. 

0 comentários:

Postar um comentário

 
ana lu fernandes - 2016 // voltar para o topo // design + código gbml