12.12.16

A crise dos 24

Tô vivendo a crise dos 24.

Pedi demissão do trabalho, não tenho faculdade, sem namorado, noivo, marido ou alguém que me diga que sou tudo que ele sempre sonhou.

Olho pro futuro e não vejo nada.

Ainda escuto RBD, assisto High School Musical e faço os testes de boys ideais da Capricho. Às vezes eu me sinto desesperada por essa realidade que insiste em dar uns tapas na minha cara.

Olho ao meu redor e segundo a sociedade eu estou fora dos padrões. Todas as minhas colegas de classe da oitava série já estão casadas, com filhos e seguindo suas devidas carreiras profissionais. Aí me pergunto: O QUE HÁ DE ERRADO COMIGO? 


E aí uma voz no meu subconsciente grita que não há nada de errado. E eu brigo com ele por que há sim algo de errado, tem que ter. Então ele me diz que se há algo de errado está no fato de eu achar que preciso ser igual às minhas colegas de classe da oitava serie. Ou que para estar no rumo certo de vida a essas alturas já deveria ter encontrado aquele alguém que será pra vida inteira. 

Eu dou risada e penso: eu não quero nada disso. 

Quando acordo todos os dias as 9 da manhã penso que só queria voltar a ter 7 anos de idade para passar o dia em frente à TV assistindo Tom e Jerry. Mas aí, imediatamente eu penso que não preciso ter 7 anos para fazer. Eu posso fazê-lo aos 24 também. A escolha é inteiramente minha. Ser uma desempregada, solteirona que ouve "y soy rebelde" também é, assim como também seria minha escolha a essa altura estar casada, formada, com filhos. 

E aí eu suspiro de alívio. O controle ainda está nas minhas mãos. 

Tudo bem que as pessoas vão falar que isso não é o rumo certo pra minha vida, mas a gente aperta o mute é tudo bem outra vez. 

Não deixe que ninguém tire o controle das suas mãos e escolha o que acha que é melhor para você. Só você sabe o melhor canal para sua vida passar.

0 comentários:

Postar um comentário

 
ana lu fernandes - 2016 // voltar para o topo // design + código gbml