23.4.17

Precisamos falar sobre relacionamentos abusivos

O Big Brother Brasil 17 terminou na última quinta-feira, 13, mas a edição deste ano deixou para trás assuntos bem polêmicos como, por exemplo, o relacionamento abusivo de Marcos e Emilly (ganhadora da edição).

Acompanhando a repercussão do caso nas redes sociais uma coisa ficou bem clara para mim: Nem todo mundo consegue enxergar os atos que caracterizam um relacionamento abusivo. É importante que a gente saiba quais são os sinais, porque aqui aquele ditado ''Em briga de marido e mulher não se mete a colher'' não vinga e nesses casos a gente precisa saber quais são os sintomas desse tipo de relação para meter a colher sim!

Preparei uma lista com os sinais de que você, sua amiga ou seu vizinho, estão em um relacionamento abusivo. Ah e só um aviso: Durante o post eu vou me referir ao agressor na figura masculina (ele), mas as situações valem para ambos os sexos, ok?!

Ele faz com que você se sinta mal a respeito de si mesma

Não importa o quão brilhante você seja, nem se você é inteligente, boa de papo ou se sabe cozinhar, você nunca será boa o suficiente para ele. Para toda qualidade, ele apontará dois defeitos, em qualquer conversa do casal em que o assunto seja você, ele sempre te fará se sentir mal sobre você mesma. Seja a respeito do seu intelecto, seja a respeito do seu comportamento e até mesmo a respeito da sua condição física. Um dos indícios mais fortes do relacionamento abusivo é justamente o abuso emocional que a vítima sofre.

Ele te controla

Nesse sinal é típico ouvir frases onde ele se coloca como o dono da verdade e diz o que você deve ou não fazer. É aqui também que ele vai falar que mulher dele não usa saia curta, não passa batom vermelho e não curte ou comenta fotos de amiguinhos. As viagens, os restaurantes ou qualquer rolê de vocês será escolhido por ele (direta ou indiretamente). Ele vai saber as senhas das suas redes sociais, do seu cartão de crédito e do celular.

Ps: Engana-se quem acredita que para caracterizar relacionamento abusivo o indivíduo precisa apresentar todos esses sinais de controle. Apenas um já basta. 


As agressões sempre têm ''justificativas''

Ele estourou com você. Te humilhou na frente da família ou na frente do grupo de amigo de vocês. Te bateu. Mas foi você que provou. Você o tirou do sério!!! Você deu motivos para que ele tivesse essas atitudes. Em um relacionamento abusivo, o agressor nunca assume a culpa pelos seus atos. As vezes ele pode não colocar a culpa na vítima, porém sempre haverá uma desculpa para as ações dele. Existem ações que são injustificáveis e essa é uma delas. 

Ele te faz acreditar que vai mudar

Depois de uma briga (na qual pode ou não ter havido agressão física), ele te dá flores, pede mil desculpas, chora e diz que isso nunca mais vai se repetir. Ele diz que nunca mais vai te chamar de adjetivos pejorativos ou dizer que você é uma louca surtada. Inacreditavelmente isso acontece. Por três ou quatro dias. E aí tudo volta ao ''normal''. 

Agressão não é só física

Um relacionamento é abusivo não só quando o cara te bate, te empurra, te belisca ou causa qualquer hematoma. Quando ele te força a transar sem proteção, contra sua vontade, é agressão. Quando ele diz que você é "fácil" porque usou esmalte vermelho, é agressão. Quando ele te ameaça, te controla, te isola, te pressiona, é agressão. Agressão sexual, psicológica ou moral, todas elas machucam.

É importante ressaltar também que A CULPA NUNCA É DA VÍTIMA! Então chega do discurso ''Ela está com ele por opção'', ''Porque que ela não termina com ele?'', ''Ela sempre o desculpa'', ''Ela sabe aonde está se metendo'', entre tantas outras frases que a gente ouve por aí. Quem está no ciclo do relacionamento abusivo demora meses (às vezes anos) para entender e aceitar essa condição. A gente precisa ter empatia, sensibilidade e entender que quem está nesse tipo de relação sofre uma pressão psicológica muito forte e nesse momento tudo que ela precisa é de alguém para amparar e estar ao lado dela, ao invés de milhares de dedos sendo apontados na sua cara.


Vou me prolongar só mais um pouquinho. Alguns meses atrás li um livro chamado ''Amor Amargo'', da escritora Jennifer Brow, e foi uma leitura incrível. O livro aborda o relacionamento abusivo de maneira profunda, real e impactante. Aí vocês devem estar se perguntando porque eu achei tão incrível ler sobre um tema tão pesado e a resposta é simples: eu gosto de leituras que mexem comigo e me façam querer mudar o mundo. Já indiquei esse livro para muitas pessoas e vou indicar mais uma vez aqui. É uma leitura de abrir os olhos e o coração e não vai te decepcionar.


Por último, mas não menos importante: Se você está ou conhece alguém que esteja em um relacionamento abusivo, busque ajuda. A Central de Atendimento à Mulher funciona 24 horas por dia, 7 dias da semana, basta ligar no 180. Ou procure uma Delegacia da Mulher próximo a você. Não sinta medo, nem receio, muito menos vergonha de falar que você precisa de ajuda para sair dessa situação. Segundo o Mapa da Violência de 2015, duas a cada três vítimas de violência atendidas pela SUS são mulheres. Mas, vale lembrar que não são apenas homens que podem ser violentos em uma relação.

Por hoje é só! Um beijo enorme pra vocês. 

0 comentários:

Postar um comentário

 
ana lu fernandes - 2016 // voltar para o topo // design + código gbml